quinta-feira, 29 de junho de 2017

GENEROLIDADE



DESCOBERTA
Só agora adolescente se deu conta de que algo acontecia, sentia-se inadequado, estranho, alguma coisa não encaixava. Resolveu olhar no espelho. Olhou João e descobriu Maria.
Girvany Aparecido de Morais – 26/06/2017


Em português

Escuridão! Escuridão sem mácula
Não no céu, no espaço.
Nada há além do nada
Até, num repente(?), tornar-se um paço.

Um suave brilho azul nasce
Não ainda o paço
Percorre milenares tempos, distâncias
Solitário de passo em passo.

Desvanece o azul
Não perda total
Mas quanto todo branco
Próximo, outro natal.

Este como aquele
Não alimentam rochosos
Sós s o s
Mas não se sabem lamentosos.

Outro repente e se circundam
O primeiro amarelo canário
O segundo ainda branco
São agora um sistema binário.

Não mais solitárias
Estrelas sem mundos
O espaço é um paço
Imaginam poetas fecundos.


En español

¡Oscuridad! Oscuridad sin mácula
No en el cielo, en el espacio.
Nada hay, solo el nada
No hay nada, no hay sacio.

Un suave brillo azul nace
No aún sacio
Recorre millones tiempos, distancias
Soledad del desgracio.

Desvanece el azul
Cosa de poca gravedad
Pero cuando todo blanco
Próximo, otra Navidad

Uno y otro
No alimentan rocosos
Amparo ampay
No gritan lamentosos.

Un impulso y se circundan
El primer amarillo canario
El segundo aún blanco
Son ahora un sistema binario.

No más solitarias
Estrellas sin mundos
El espacio hay sacio
Imaginan poetas fecundos.


 Rubem Leite é escritor, poeta e crontista. Escreve ao Ad Substantiam semanalmente às quintas-feiras; e todo domingo no seu blog literário: aRTISTA aRTEIRO.  É professor de Português, Literatura, Espanhol e Artes. É graduado em Letras-Português. É pós-graduado em “Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa e Literatura na Educação Básica”, “Ensino de Língua Espanhola”, “Ensino de Artes” e “Cultura e Literatura”; autor dos artigos científicos “Machado de Assis e o Discurso Presente em Suas Obras”, “Brasil e Sua Literatura no Mundo – Literatura Brasileira em Países de Língua Espanhola, Como é Vista?”, “Amadurecimento da Criação – A Arte da Inspiração do Artista” e “Leitura de Cultura da Cultura de Leitura”. É, por segunda gestão, Secretário da ASSABI – Associação de Amigos da Biblioteca Pública Zumbi dos Palmares (Ipatinga MG). Foi, por duas gestões, Conselheiro Municipal de Cultura em Ipatinga MG (representando a Literatura).

Sobre cor das estrelas:

Ampay = Descubrimiento de algo o alguien que trataba de ocultarse.
Paço = palácio


Escrito entre as manhãs de 21 e 29 de junho de 2017.

Um comentário: